sábado, 3 de novembro de 2007

Angola - Luanda - Cidade Musseque



Escrito por Marcelo Rosa Maio 29th, 2007

Em Angola, conheço somente a cidade de Luanda. Não conheço outros locais. Mas o que vemos em Luanda dá uma excelente idéia do que espera um estrangeiro ao se mudar para lá.
É uma cidade que poderia ser muito bonita, se fosse bem cuidada, mas a sujeira impera, e as marcas de trinta anos de guerra mostram sua força. Vidros quebrados, marcas de balas por todos os cantos. Pouca ou nenhuma infraestrutura urbana. Parques, praças, inexistentes.
Nos bairros mais populosos e pobres, como o Rocha Pinto, realmente nos sentimos em uma favela qualquer no Brasil. As casas sem revestimento nenhum, e com as telhas de amianto presas por tijolos. Nunca entrei em nunhuma, porém dizem que por dentro elas são bem confortáveis, seja lá o que isso quer dizer em Angola.
Mas a cidade não é só pobreza. Próximo do oceano temos uma região com prédios governamentais, bem cuidada e com alguns bares como o Bahia (se não me engano é de propriedade da filha do Djavan). Nas fotos abaixo temos duas vista dessa região.


*Aqui vivem os novos ricos - Generais, novos colonizadores e oportunistas corruptos que expulsaram os portugueses de Angola


*Aqui vivem os pobres - militantes guerrilheiros seguidores dos generais, escravos dos novos colonos e dos oportunistas corruptos que expulsaram os portugueses de Angola

*Aqui vivem os novos ricos - Generais, novos colonizadores e oportunistas corruptos que expulsaram os portugueses de Angola

*Aqui instalam-se os grandes grupos empresariais que vão para Angola ajudar na sua reconstrução

2 comentários:

Mário Nunes disse...

Adorei o seu blogue, estará interessado numa linkagem entre o África Minha e o Kafe Kultura?
Envie a sua resposta para as1534852@gmail.com
Um abraço luso moçambicano

ÁfricaMinha disse...

Mário Nunes

Obrigada, pela sua apreciação ao blogue.

Quanto à sua proposta, é capaz de ser sedutora.Mas, neste momento, tomara eu, ter mais dedos para tocar mais violas, das que já toco.

Não fecho a porta, à sua proposta, se surgir uma oportunidade contactá-lo-ei

Kandandu angolano