sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Ingrid Betancourt "Com Raiva no Coração"



«Chamo-me Ingrid Betancourt. Tenho 41 anos e sou senadora do meu país, a Colômbia.

Devo muito à França. Foi lá que fiz os meus estudos e este livro, escrito em francês, constitui para mim um modo de manter esta ligação, assim como é uma oportunidade para dar a conhecer a minha luta ao país que me ensinou o que é a democracia e o que é a liberdade.
Sabem como são poderosos, na Colômbia, os cartéis da droga, esta droga que mina a vida dos nossos jovens. Certamente que têm ouvido falar das matanças e dos escândalos políticos que eles causam. Mas, por trás destas organizações mafiosas, está o meu povo – um povo corajoso e orgulhoso que deseja libertar-se desta engrenagem infernal. É por ele que luto, há mais de dez anos.

É, porém, uma luta perigosa. Tenho dois filhos, que já foram ameaçados de morte. Tive de separar-me deles, para os proteger. E, já por duas vezes, a máfia colombiana tentou matar-me. Estou consciente dos perigos, mas estes não me farão recuar. É nisso que reside a minha esperança.»


Ingrid Betancourt (2002)

Ingrid Betancourt, nasceu em 1961, na Colômbia. É filha de um ex-embaixador da UNICEF e de uma ex-Miss Colômbia. Passou parte da juventude em Paris, onde fez os seus estudos (licenciou-se em Ciências Políticas). Foi casada com um diplomata francês, de quem teve dois filhos (actualmente está casada com um publicitário).

Desde criança, habituou-se a conviver com gente como Pablo Neruda e Gabriel García Márquez, amigos da família. E o empenhamento político surgiu com naturalidade: foi eleita deputada e depois senadora. Paladina da cruzada anticorrupção, foi também conquistada pela defesa do ambiente, tendo criado o Oxigénio, um pequeno partido ecologista.

Em 23 de Fevereiro de 2002, no decurso da sua campanha como candidata à presidência da Colômbia, foi raptada pelas FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), a guerrilha de inspiração guevarista que há muitos anos se opõe a sucessivos governos do seu país. Ingrid Betancourt, é não só uma mulher de coragem, lutando contra a força tentacular do narcotráfico e contra a corrupção na política, mas também uma voz renovadora da esperança no triunfo da democracia na Colômbia.







Melanie, filha de Ingrid, numa manifestação em França, para pedir pela libertação da sua mãe












Nada como, passar algumas passagens do livro, que podem ajudar a compreender as razões pelas quais esta mulher representava e representa uma ameaça para qualquer poder instalado, em qualquer parte do planeta.Recomendo vivamente a leitura do seu livro "Com Raiva no Coração", pois através dele, aprenderemos a conhecer um pouco mais(muito), como funcionam internamente os sistemas partidários, os jogos pelo poder, as trapaças e atropelos, que muitos políticos usam em nome do povo ou de um país.Trapaças e atropelos, que não são visíveis aos olhos do "povo".Esta mulher teve a coragem de sózinha, lutar contra tudo e todos, com uma Raiva cega de demonstrar e provar, primeiramente ao seu povo e país, secundáriamente ao mundo, como a corrupção corrói os políticos, os partidos, os poderes governativos instalados,os media (imprensa escrita e falada), os grandes grupos empresariais, o sistema militar e judicial.



(...)Nessa altura acontece-me uma coisa absolutamente inesperada.Yamid Amat, a estrela da televisão colombiana, convida-me para o jornal da noite.Fico bastante assustada, pois sei que é uma oportunidade única e que, se não a aproveitar, serei votada ao esquecimento.Preparo-me para o pior, pois Yamid Amat tem fama de entrevistador implacável.
- Ninguém a conhece na Colômbia - começa ele por dizer.Diga-nos quem é e porque é que se candidata ao Parlamento.
- Quero lutar contra a corrupção.
Aí vejo-o reprimir ostensivamente uma gargalhada.
- Lutar contra a corrupção?Mas o que vai fazer contra a corrupção?
- Denunciar os corruptos no Parlamento.
- Ah, bom!Quer dizer então que conhece pessoas corruptas no Parlamento?
- Conheço muitas.E penso que você também conhece.
- Claro! - responde Amat secamente. - Mas eu não vou dizer o nome delas. Você é capaz de as denunciar?
- Sou.
E avanço com cinco nomes que me vêm à cabeça.Os cinco políticos que considero mais corruptos.
Amat fica atordoado.Faz uma pausa e, mudando bruscamente de tom:
- Esta história dos preservativos ... os Colombianos estão chocados...
Faço o meu discurso de camapanha, e a entrevista acaba. (...)

(...) São exactamente dezassete horas quando subo à tribuna.Para me demarcar radicalmente dessa assembleia de homens congestionados e furibundos, pus uma minissaia azul e vesti um casaco no mesmo tom, sobre uma simples T-shirt.Todas as câmaras de televisão estão apontadas para mim.Dispo então o casaco e surge, estampado na minha T-shirt, o elefante criado por Juan Carlos, com a seguinte frase em maiúsculas: « APENAS A VERDADE!».Está dado o tom, e pode ler-se a consternação assassina, mas impotente.(...)

(...) - Devem imaginar como me custa fazer acusações deste género.Porque custa muito carregar sozinho a verdade nesta farsa que vos é apresentada como um julgamento.Dentro de poucas horas, estes deputados que as câmaras vos mostram um tanto atarantados vão inocentar o presidente.E porque vão eles inocentá-lo ? Porque, salvando-o, salvar-se-ão a si próprios.Vejam este senhor, por exemplo, sentado à minha frente...Tenho aqui um recibo assinado pelo seu punho.Este senhor recebeu uma quantidade de milhões de pesos...Digo-vos claramente: se este senhor resolvesse condenar o chefe do Estado, não sei se amanhã estaria vivo...Nós os Colombianos, somos espectadores impotentes de um jogo cujo resultado já está decidido.Hoje, o nosso país está no fundo do abismo, na agonia, e contudo sei que virá o dia da nossa aspiração à felicidade vencerá a atracção vertiginosa que há tanto tempo sentimos pela morte.Estou confiante.
Sucede então uma coisa curiosa, insólita num recinto colombiano: o silêncio prolonga-se enquanto regresso ao meu lugar, um silêncio impressionante, como se estes homens, tão prontos à violência, estivessem provisóriamente aniquilados. (...)

Podem ler mais, sobre esta grande mulher, em : http://www.linux24info.info/kraj-es-show-Ingrid_Betancourt

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Libermédia apresenta guia turístico das praias de Luanda



Fonte: Jornal de Angola (Jornal ao serviço do poder instalado)


Gabriel Bunga

A Libermédia Produções (empresa de serviços de imagem, catálogos, brochuras e fotografias) apresentou ontem à imprensa, em Luanda, um guia turístico das praias da cidade, no âmbito das comemorações dos 434 anos da capital.
A revista visa oferecer informação diversificada sobre centros turísticos de Luanda a turistas nacionais e estrangeiros.O guia das praias inclui, entre outras atracções, uma completa descrição e localização das praias, restaurantes, alojamentos e locais de interesse turístico, numa extensão de 150 quilómetros, começando por Cabo Ledo e Caxito, passando pelo Mussulo e pela Ilha do Cabo.
De acordo com a directora da empresa, Ossanda Líber, que falava em conferência de imprensa ontem no Hotel Continental, a presente edição da revista “Luanda Coast 2008” será de grande utilidade a todos aqueles que precisam de explorar as belíssimas praias de Luanda.
Para além da “Luanda Coast 2008”, está no pacote de projectos da LiberMédia mais um Website de lugares turísticos da capital do país e mais um guia que se ocupará de informações sobre museus, igrejas, hotéis e outros espaços públicos que podem estar à disposição dos turistas.
De publicação anual, a revista tem oitenta páginas e custa mil e 200 Kwanzas.



Comentário:Gostaria imenso de acreditar, que os conteúdos informativos que este guia turístico se propõe, tivessem aplicação na realidade, no terreno.Isto é, que Angola tivesse na realidade todas as infra-estruturas necessárias capazes de oferecerem ao " turista e ao turismo" e acima de tudo, conseguissem assegurar uma simbiose entre o preço/qualidade dos serviços prestados.

Esta notícia, veio mesmo a calhar.No passado fim de semana, realizou-se em Lisboa a Feira Turimo de Lisboa (BTL), que tive a oportunidade de visitar.As ofertas eram muitas e variadas.Para todos os gostos e carteiras.Sabendo antecipadamente que os países que integram os PALOP iriam estar presentes, com as suas ofertas.Era normal que estivesse curiosa para conhecer as ofertas de Angola.Pelas razões sobejamente conhecidas, uma delas, que é o país de África com maior índice de desenvolvimento.E também, porque tenho consciência que Angola tem enormes potencialidades para desenvolver e apresentar uma oferta de turismo ao nível dos melhores do mundo.

Qual não foi o meu espanto, ao chegar ao Stand de Angola, constato que o mesmo era igualzinho ao do ano passado, não apresentava novidades, nem mesmo em termos do design visual.Como sabem, é pela visão que o estômago tem o primeiro impacto da gula.O pessoal de apoio ao Stand, tal como acontece todos os anos, encontrava-se em amena cavaqueira uns com os outros, enquanto os potenciais interessados pelas ofertas, passavam desinteressadamente pelo stand.Comentei este pequeno promenor, com as pessoas que acompanhavam-me.Ainda mais estranho, tornou-se esta forma de estar, quando "Angola" está na moda, em Portugal.

Promenores à parte, vamos ao que interessa.

Nos eventos desta natureza, o pessoal que os frequenta, procura recolher as tais "brochuras, catálogos, imagens, promoções, etc," informativas sobre os países e respectivas ofertas.No stand de Angola este tipo de informação era escasso, direi mesmo inexesistente.Frustada e desapontada, recolhi o que havia disponível.No recanto do meu sossego, começo analisar as tão famosas brochuras e catálogos.A minha frustação no lugar de diminuir, aumenta ainda mais.E passo a citar as razões para o aumento da minha frustação .

Não consegui nenhuma brochura.Consegui um ÚNICO catálogo de uma agência de viagens " Expresso - Viagens e Turismo, S.A." sem apresentar nenhum cuidado na apresentação atractiva e aliciamento visual.O catálogo deve ter sido feito, no ano de mil e novecentos e troca o passo.Esta agência, segundo informação inclusa, diz operar em Angola desde 1966.Ao abrir o cátalogo, o meu espanto atingiu os limites do paranormal, o folheto dizia respeito a uma oferta na "TANZÂNIA" mais própriamente em Saadani no "National Park", completamente escrito em inglês, sem tradução para outras línguas.Impensável.Mas real.Fiz a respectiva pesquiza na internet, através do endereço constante no catálogo, e o paranormal aumentou.Só abria a págima inicial, onde constam os contactos.Podem comprovar através do endereço :

(clicar nas imagens para aumentar)

Petreficada, passei ao folhete seguinte, constante no interior da capa do catálogo.Um simples papelzinho de 20cm X 10 cm referente a outra Agência de Viagens e Turimo denominada por "MÃE MENA" em que as ofertas referentes a Angola são:Pedidos de vistos, Emissão de passaportes, Check-In/Out de passageiros, Serviços de Renta a Car, Reservas em Hóteis, Certificados de Vacinas, Bilhetes de Passagem(Nacional e Internacional) Marcação de Audiências e Entrevistas ( em instituições públicas e privadas).A única oferta que esta agência oferece em termos de viagens meramente turísticas, são destinadas à África do Sul, diz a agência que oferecem excelentes condições de estadia e saberão servir.A pesquiza através da internet, relativamente a esta agência não é possível, uma vez que não possui endereço.Uma agência direccionada para ao tratamento de documentação, e quase nada tem para oferecer turísticamente.Um favor pessoal, prestado a alguém com interesses na agência em Angola.

Repito tudo isto, num simples papelzinho de 20cm X 10 cm.(Conforme pode comprovar através da foto).


Foto 2



Continuei a minha aventura em busca das ofertas turísticas em Angola.E a próxima aventura, diz respeito a um desdobrável de fraca qualidade, e com imagens referente ao " Aldeamento Turístico Pasárgada" que fica a 64km de Luanda na província do Bengo.Inclui todos os contactos, incluindo endereço electrónico (e-mail), mas o acesso via internet, tal como todos os outros não é possível.


Foto 3





Perante estes factos, é de saudar a criação de guias turísticos em Angola.Mas apetece-me revoltadamente, dizer aos criadores desta ideia, que não basta apresentar como ofertas, as lindas praias de Angola, principalmente aquelas que ficam a mais de 50 km de Luanda, Hotéis e aluguer de automóveis, cujo os preços praticados são dos mais elevados do mundo.Cujo o sistema de transportes urbanos não funcionam devidamente, em que a oferta e a qualidade do transporte público, assemelha-se a uma capoeira.Onde a alternativa colocada ao "turista" para poder visitar a cidade, é no famoso candongueiro, muito típico e turístico.Em termos de oferta, ao nível da restauração, os serviços prestados pela maioria dos restaurantes colocados à beira da estrada e das praias, não reunem as mínimas condições de higiene , são autênticos atentados à saúde pública.Por outro lado, o número de camas disponíveis para a prática de um turismo económico e atractivo, simplesmente não existe.Não seria preferível, criarem primeiro as infra-estruturas necessárias, do que meterem-se na "Aventura" de oferecerem aos potenciais turistas uma oferta, tipo "Gato por Lebre".Não estão a tentar colocar a carroça à frente dos bois, contribuindo ainda mais para a descrebilização futura do turismo.Não haverá aqui, uma pontinha de aproveitamento e oportunismo.

Sejamos realistas, o turismo que um turista pode pensar encontrar actualmente em Angola, é um turismo semelhante ao das imagens propostas no Folheto Informativo (foto 4).Um turista não consegue, desfrutar dos prazeres oferecidos pelo MiamiBeach ou das lindas praias da ilha de Luanda, sem ter que desfrutar das lindas paisagens degradantes, oferecidas pelos pobres coitados que rodeiam e invadem as restantes praias ao longo da orla da ilha.A não ser, que reservem para o Turista uma viatura tipo Jeep Hummer de vidros fumados.
A mudança urgente dos símbolos da bandeira, uma das maiores imagens de marketing que um país pode ter.O símbolo da catana na bandeira, pode representar um elemento dissuasor para os potenciais turistas.É um símbolo dissonante.Substituam a catana pela "Palanca Negra".

Foto 4


Foram provávelmente este tipo de ofertas turísticas (foto 4) que condicionaram, a falta de empenho por parte dos responsáveis pelo turismo em Angola na BTL, e justificaram a sua postura desinteressada.

O turismo actualmente, é um grande sector gerador de riqueza, como tal não pode ser gerido por pessoas, que não possuem uma formação altamente qualificada.O turismo, deixou de ser um sector destinado à carolice de alguns.O turista é cada vez mais exigente, na escolha dos seus destinos.O turismo não é só praia.O turismo é muito mais abrangente.A relação oferta/preço/qualidade é muito competitiva.Não serão certamente as praias de Luanda que vão seduzir o mercado turístico.O Brasil comparativamente com Angola, tem a mesma qualidade ao nível das praias, com empreendimentos turísticos com qualidade e preços muito mais atractivos.

Como complemento do Folheto Informativo Turístico de Angola - Luanda sugiro a visualização dos vídeos colocados no seguinte endereço

http://angola-africa.zip.net/
http://carlacarinhas.sites.uol.com.br/angola/video_luanda.html

domingo, 20 de janeiro de 2008

Dois portugueses morreram no acidente aéreo perto do Huambo

Fonte : Notícias Lusofonas

Dois portugueses morreram hoje no acidente aéreo próximo da cidade do Huambo, centro de Angola, disse fonte da secretaria de Estado das Comunidades portuguesas. A informação também foi transmitida em Luanda pela companhia Tropicana, proprietária da aeronave, um King Air B 200.

No acidente, além dos dois portugueses, morreram mais oito pessoas, entre as quais o proprietário da companhia Tropicana, o empresário Valentim Amões.

A identidade dos passageiros e tripulantes não foi avançada para que as famílias sejam contactadas antes.

A mesma fonte disse que ainda ninguém da companhia, da Força Aérea ou das equipas de resgate chegaram aos destroços, mas "populares que chegaram ao local indicaram que as 10 pessoas a bordo morreram".

O avião saiu cerca das 07:00 (06:00 de Lisboa) do aeroporto 4 de Fevereiro, em Luanda, com destino ao Huambo.

Já na proximidade desta cidade do Planalto Central angolano deixou de contactar a torre de controlo do Huambo.

A Empresa Nacional de Navegação Aérea (ENANA) de Angola aponta o mau tempo como causa provável do acidente.

Aparelhos da Força Aérea angolana estão a sobrevoar a área em busca dos destroços do aparelho, que opera em Angola essencialmente com voos charter.


Comentário: Já começaram os "mistérios".Desta vez, nada tem haver com brometos de sódio, ou outras doenças estranhas.Nem com prisões de jornalistas e perseguições à imprensa privada, ou censura aos cantores angolanos.Desta vez, tem a ver com quedas de aviões, com a perda de vidas humanas.Segundo a fonte, estão incluídos entre as vítimas dois portugueses e um angolano muito estimado na zona do huambo.Mas antes de fazer este comentário estive a dar uma vista de olhos, em outras fontes.Uma dessas fontes, é analista e conhecedor profundo dos problemas de Angola.Podem consultar a sua opinião em: http://pululu.blogspot.com/ .Eu partilho da mesma opinião, relativamente à análise, que ele faz sobre o mistério desta queda e acidente.Para quem conhece Angola, e é um conhecedor profundo sobre como funcionam as "teias" internas da política, este acontecimento pode ser o ínicio de muitos outros, também eles misteriosos, que ainda estarão para acontecer.Quem ainda se lembra, na altura debandada dos portugueses em Angola, de ver fotos afixadas em placards estratégicamente escolhidos, com imagens de corpos esquartejados, onde raramente se visualizava um corpo inteiro, que se pudesse dizer que todas aquelas partes esquartejadas, pertenciam a um único ser humano.Reparem bem na nóticia, o helicópetro que vai em auxílio, também sofre uma queda, mas por sorte e milagre, salvam-se todos.A mesma sorte e milagre, que não tiveram as vítimas do acidente.

Isto é Angola...

Em Angola não se passa nada...

Angola recomenda-se... ( pelo menos Sócrates e Fidel Castro recomendam.Cuidado com as catanas afiadas, com as doenças negras, com a taxa da gasosa, com a água contaminada, com os saques em nome do poder popular dos internacionalistas, com a queda de aviões).

Aos poucos, vamos descobrindo a velha e verdadeira Angola, cheia de truques e mistérios

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Sandálias havachinanas


Recebi na minha caixa de correio electrónico, uma mensagem que gostaria de partilhar com todos os frequentadores ou curiosos deste espaço.



Pediatras estão recomendando: Muito cuidado com tudo que for "Made in China", principalmente produtos que tiverem corantes amarelos. Veja só:

SANDÁLIAS FALSIFICADAS HAVAIANAS "Made in China” SÃO PINTADAS COM TINTA TÓXICA. O EFEITO É CATASTRÓFICO. ALERTE SEUS AMIGOS E FAMILIARES.












































Comentário: A este tipo de problema, aplica-se perfeitamente o velho ditado popular "O barato sai caro".Atraídos pelo preço do produto, podemos arranjar problemas sérios de saúde.
Se ao comprarmos uma simples haviana chinesa, podemos viver este"pesadelo", é fácil começarmos a imaginar e a interrogar-nos, que tipo de material usarão os chineses em obras de grande suporte e envergadura.Sem falar no tipo de material usado no acabamento final das obras.

Pessoalmente, posso afirmar que não sou consumidora dos produtos "made in China".No entanto, não quer dizer que esteja livre de um problema como este, pois as armadilhas a que estamos sujeitos, são variadas.É do conhecimento geral, que os grandes grupos empresarias, encomendam produtos à China, posteriormente colocam a etiqueta com a designação das suas "marcas".

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Última Hora - Angola: Teatro Avenida vai ser demolido

Fonte:Portugal Diário

Situado na baixa de Luanda, edifício chegou a ser sede dos serviços de bombeiros

O velho Teatro Avenida, na baixa de Luanda, onde várias gerações se iniciaram nas artes cénicas antes da independência de Angola, em 1975, vai ser demolido, segundo noticia a agência Lusa.

Carlos Vieira Lopes, director nacional da Arte e Acção Cultural de Angola, disse que no lugar do antigo teatro será erguido um moderno edifício que integrará um novo espaço para teatro e cinema bem como outras funcionalidades

Situado na baixa de Luanda, na Avenida Rainha Ginga, o edifício chegou a ser a sede dos serviços de bombeiros de Luanda antes de, em 1968, ser transformado no Teatro Avenida, o maior do país na altura, que também tinha a valência de sala de cinema.

A renovação e requalificação em curso da baixa da capital angolana, que envolve uma profunda transformação da Baía de Luanda e ainda a parte da cidade mais próxima da marginal, é a razão apontada para a demolição do Teatro Avenida.

Carlos Vieira Lopes adiantou ainda que a demolição do Teatro Avenida não significa que a cultura, nomeadamente o teatro e o cinema, vão deixar de manter a sua presença no local.

Isto, porque, a demolição do Avenida vai dar lugar a um novo edifício destinado à promoção da cultura angolana.

Carlos Vieira Lopes explicou que o projecto previsto para o local visa «melhorar e modernizar, para melhor servir o público amante da arte e da cultura».

Comentário: É com tristeza que recebi esta notícia.Coisas da tão chamada "renovação", onde outros interesses se levantam e falam mais alto.Quem conhece, o local onde está situado o Teatro Avenida, fácilmente alcança as motivações que podem estar por detrás desta demolição.
Fica a saudade e a recordação no albúm das memórias das nossas vidas.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

ESTRADA NOVA, MAS JÁ ESBURACADA

Fonte: o apostolado

A estrada que liga a Comuna da Barra Do Dande à região dos Libongos apresenta já remendos e pequenos buracos.

Aberta à circulação nos últimos seis meses, é bastante visível em várias partes da via asfalto removido formando buracos ainda que de pequena dimensão.

O facto de haverem também remendos bastante recentes noutros lugares da estrada, pode indiciar já uma má construção da rodovia. Para isso concorrerá o facto da camada de asfalto ser bastante fina. "Esta estrada nós vimos há pouco a ser feita e não é possível ter remendos e buracos. Isso quer dizer que quem a construiu nos aldrabou", comentaram ao "Apostolado" habitantes nas redondezas

De resto, esta não é a primeira estrada construída e que meses depois entra rapidamente em estado de degradação. O novo tapete colocado entre os Municípios de Viana (Luanda) e o de Icolo e Bengo (Bengo) e Icolo e Bengo –Dondo, faz prova de que algo está errado na construção de estradas em Angola
A via de cerca de 20 quilómetros veio encurtar distâncias no percurso que liga a capital angolana, Luanda, aos Municípios de Ambriz (Província do Bengo), Nzeto (Província do Zaire) e Mbzanza Congo (capitado do Zaire). De Caxito aos Libongos são cerca de 40 quilómetros, que se tornam

Anteriormente, para se chegar a estas localidades os automobilistas eram obrigados a escalar a cidade de Caxito a 60 quilómetros de Luanda e depois empreender a marcha em direcção àqueles Municípios do Norte.

NO SENTIDO ZAIRE

A ligação terrestre entre os Libongos e a capital do Zaire, Mbanza Congo está ainda na estaca zero.

Depois da costumada terraplanagem de cerca de 250 quilómetros até à sede municipal de Nzeto, Província do Zaire, o asfalto tarda a chegar. Consequentemente, os buracos voltaram a tomar conta do pavimento, tendo piorado com as últimas chuvas.

Ao longo da via que dá também acesso à capital do Zaire, Mbanza Congo, e aos Municípios de Soio, Noqui, não se verifica ainda qualquer empresa a preparar-se para a asfaltagem. Mas, durante o ano de 2007 as autoridades locais e centrais haviam anunciado o início da construção dessa estrada ainda para fins do ano que terminou.

Neste momento a viagem de Luanda a Nzeto pode demorar cinco horas a uma velocidade de 80 quilómetros horários.


Comentário:Para muitos, estas situações não são novidades, até esperadas.Primeiro o ritmo frenético imposto pelos chineses na construção de algumas obras de grande volume, só por si, já era um indicador, que algo poderia estar ou a ser anormal.Com o passar do tempo, aliado ao volume e peso do tráfego, a juntar às condições atmoféricas, verifica-se que a anormalidade nas estradas pode estar na espessura do "asfalto".Andam a "aldrabar" o povo.Andam a esbanjar dinheiro desnecessáriamente.Provávelmente os engenhocas envolvidos nas contruções das estradas, nem estudos prévios fizeram sobre as condições para a sua construção.Tal era a presa.O importante é, as obras acontecerem, de preferência de "cara lavada", com outro aspecto, iludir os olhos do eleitorado.Em política as obras executadas, para além de terem um impacto social relevante, são muito importantes para cativar e aliciar votos.O "Bum" das construções em Angola, principalmente dos Chineses, para muitos como eu, sempre foi de desconfiança.Até porque os produtos "made in China" são normalmente de má qualidade, no que diz respeito às matérias primas empregues na fabricação desses mesmos produtos, reflectindo-se no seu prazo de durabilidade.Normalmente, pelo menos comigo acontece quase sempre, seja qual fôr o produto que adquira "made in China" se não avariar antes, o prazo máximo que consigo usufruir desses produtos é de precisamente de seis meses.Optei por abdicar dos produtos "made in China", pois sentia que andava a deitar dinheiro à rua, aliciada pelo baixo custo e sem garantia.Prefiro optar por pagar um pouco mais caro, e ficar na posse do certificado de garantia, que varia entre um ano a três anos, conforme o produto.

Não ficarei nada admirada, se dentro de pouco tempo, outras situações começarem a surgir em outras obras executadas pelos chineses.Refiro-me mais concretamente, aos edíficios ( prédios), pontes, túneis, viadutos etc.

Os chineses estão a "vender gato por lebre " aos angolanos.Estão-se aproveitar da sua situação privilegiada de parceiro apoiante em armamento durante a guerra.E também, da necessidade dos governantes que estão no poder, apresentarem obras aos olhos do povo.Por outro lado, tentar passar a mensagem, que eles (os governantes) estão a trabalhar bem, para o desenvolvimento de Angola e a contibuir para a modificação de mentalidades.Tudo não passa de um Jogo de interesses, entre o poder político instalado, e o poder económico da China.Mais tarde as futuras gerações vão pagar com juros elevados todas estas loucuras de uns e de outros.Para alguns, o futuro ainda está longe.Pensam eles "Com o futuro, deve preocupar-se de preferência, quem vier ocupar o lugar no poder, depois de eles sairem".O importante, é o que está acontecer agora.Para esses, o "agora" é conseguirem continuar a governar, dentro dos moldes democráticos de fachada, onde se movem os lobbies económicos, onde a corrupção tem várias caras e designações.Permitindo inclusive, abertura de bancos privados fora de Angola, sem preocupações quanto ao apuramento da real proveniência dos fundos, que vão permitir essa abertura no exterior.Servirá esse banco, para lavar a cara e a imagem de uns e de outros.Servirá esse banco, para outras jogadas, que todos sabem quem são os prováveis jogadores, mas que ninguém se atreve a dizer ou a escrever os seus nomes.Como disse, Francisco Louçã:" Angola é tão pornográficamente rica, que lhe permite ter este tipo de relações com os lobbies.José Eduardo dos Santos está à mais anos no poder que Mugabe".Francisco Louçã, foi o único a levantar a voz, para acusá-lo de vários crimes cometidos contra o seu povo.É dentro desta promiscuidade e hipocrísia que a democracia em Angola vai-se instalar e reinar. Ninguém está, minimamente preocupado com o povo angolano.Estão sim, preocupados quem vai ocupar a cadeira do poder(es).Os valores das "cartadas" em jogo são demasiado elevados.Convinha que fossem os mesmos, para não correrem o risco de as regras poderem ser alteradas, com o jogo a decorrer e antes das grandes obras finalizarem e a garantia do dinheiro estar seguro no bolso ou cofres.


Isto é Angola...
Em Angola, não se passa nada...
Angola recomenda-se...(Sócrates pelo menos faz propaganda e recomenda...Cuidado com as catanas.Elas afiadas cortam em pedaços.)