terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Angola: Crise obriga a "reajustamento" no Orçamento mas não afecta reconstrução - José Eduardo dos Santos

Luanda - O Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, anunciou hoje em Luanda que a descida dos preços do petróleo e dos diamantes obrigam a reajustamentos no Orçamento de Estado e no Plano Nacional para 2009, mas não vão afectar a reconstrução nacional.

Apesar da crise financeira global, o Governo angolano vai empenhar-se em manter a estabilidade política e macroeconómica e continuará a realizar investimentos públicos significativos na reabilitação e construção de infra-estruturas, garantiu José Eduardo dos Santos, na sua tradicional mensagem de fim-de-ano à Nação, transmitida em simultâneo nos órgãos públicos de comunicação social angolanos.

"No nosso caso, o preço do petróleo e dos diamantes tem estado a descer muito, exigindo do nosso Governo acções que visem o reajustamento do Orçamento Geral do Estado e de algumas metas do Plano Nacional para 2009", salientou Eduardo dos Santos.

Segundo o estadista angolano, "esse ajustamento, não vai modificar a estratégia nem os objectivos estabelecidos no domínio económico e social".

Nessa perspectiva, José Eduardo dos Santos disse que o executivo angolano vai criar empregos e condições para o crescimento da produção, na base do aproveitamento racional dos recursos naturais, respeitando o equilíbrio entre a economia e a ecologia.

"O Governo vai estimular e incentivar o investimento privado na produção, para aumentar a oferta de bens e serviços, e vai também desenvolver uma política adequada de investigação científica, de formação e gestão dos recursos humanos", frisou.

"Apesar das consequências que Angola possa sofrer por causa da crise económica mundial, pretendemos manter o nosso modelo de desenvolvimento sustentável e a tendência de forte crescimento económico, com a geração de empregos e a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos e das famílias angolanas", declarou José Eduardo dos Santos.

Segundo o Presidente angolano as conquistas já obtidas por Angola na reconstrução do país são "expressivas" e serão ainda "maiores" nos anos que se seguem, se os angolanos forem capazes de reconstruir também as mentalidades.

"A hora de começarmos a construir uma nova mentalidade é esta", alertou Dos Santos.

Relativamente ao ano de 2008 José Eduardo dos Santos elogiou a participação "maciça e exemplar" dos cidadãos nas eleições legislativas de cinco de Setembro, referindo que agora existe a certeza de que a grande maioria dos angolanos apoia "sem reservas" a política de reconstrução nacional e de desenvolvimento em curso.

"Para a completa normalização da vida política nacional falta-nos agora aprovar a nova Constituição da República e realizar as eleições presidenciais", afirmou.

Para Eduardo dos Santos, participação "consciente" do cidadão comum na vida nacional foi importante, desejando que seja complementada com a revalorização do seu lugar junto da família, do trabalho e da comunidade mais próxima, de modo a criar uma sociedade mais "justa e equilibrada".




Comentário: Era bom era.A crise ser mundial e um país como Angola, sem estruturas solidificadas, passar ao largo da "crise".Mentira tem perna curta.Esperemos pela passagem do tempo, para confirmar as palavras do presidente da nação através dos seus actos, uma vez que, ele anuncia públicamente que não vai modificar a estratégia.
A reconversão da mentalidade dos angolanos, passa primeiro pela mudança da mentalidade do Presidente da Nação e do partido político que ele representa.Deixarem de parte as mentiras que originam sonhos a muitos sonhadores.
Político, manda muito blá blá.
Político, é um vendedor de sonhos, experiente.O mundo está recheado deles.O Presidente Angolano, não é, nem nunca será uma excepção na venda dos sonhos ao seu povo.

2 comentários:

Carreira disse...

Bom 2009!!!
Abraço,
José Carreira

cazimar disse...

Obrigado amigo

Bom Ano 2009 também para ti !!!

Todos os sonhos e projectos se realizem

Tudo de bom !

Kandandos (abraços)

Cazimar