sexta-feira, 6 de junho de 2008

Mais de 16.000 Congoleses expulsos de Angola

Fonte: panapress

Kinshasa, RD Congo (PANA) - Mais de 16 mil cidadãos da RD Congo expulsos recentemente de Angola estão alojados em Kaungula, a cerca de 90 quilómetros da cidade de Tembo, na província de Bandundu na fronteira entre os dois países, informou quarta-feira a rádio privada "Rtg@" em Kinshasa.A fonte anunciou igualmente que 11 mil outros Congoleses em vias de regressar ao seu país nas mesmas condições estavam à espera na fronteira."As condições em que os Congoleses são geralmente expulsos de Angola avizinham as violências xenófobas constatadas ultimamente na África do Sul, excepto que as vítimas das manifestações na África do Sul beneficiam de alguns apoios do Governo do país de acolhimento que já não os expulsa", afirmou a rádio, que revela que estes expulsos são brutalizados, geralmente, pelas forças da ordem.Nos seus testemunhos, eles contam a alegada violência da Polícia, que se salda frequentemente em perdas de vidas humanas.Os cidadãos expulsos chegam ao país extenuados e num estado de pobreza total, necessitando de assistência.De acordo com a rádio Rtg@, uma delegação do executivo provincial de Bandundu deveria deslocar-se ao local para avaliar as necessidades destes cidadãos expulsos e os ajudar.A rádio denuncia que as autoridades angolanas habituaram-se a "repatriar" à força cidadãos congoleses cada vez que se prepara um evento político importante, como as eleições legislativas de Setembro próximo, acusando que isto constitui um pretexto para se livrar deles.



Comentário:Parece que a moda do amigo Zuma do ANC Sul Africano tem ramificações em Angola.Ou será ao contrário « a moda do MPLA do amigo José Eduardo dos Santos teve ramificações na África do Sul».Seja qual fôr a opção, a questão da xenófobia entre os negros, principalmente entre os negros de países fronteiriços (vizinhos) é preocupante.Quantos angolanos na época colonial, sob o estigma do progressismo libertador procuraram exílio no Congo e a partir dele, organizaram acções de ataques de guerrilha e de xenofobia contra raças semelhantes ou diferentes dentro do seu próprio país?


Nota à navegação: Tenho a informar que não sou comunista nem afecta a qualquer partido de esquerda, de direita ou do centro.Nada de misturar alhos com bogalhos.Nada de misturar o designer (profissionalismo) deste espaço com a autora dos posts e respectivos comentários dos mesmos.

As pessoas de bem, mesmo em situações de desespero de causa, não recorrem a terceiros como armas de arremesso, assumem as suas responsabilidades individuais e respondem por elas na justiça.Como em Angola, a justiça só pende para um dos lados da balança - MPLA e do poder, é natural que esse tipo de pessoas pensem que neste local ou em outros onde são habituais frequentadores, também podem ameaçar e amordaçar as linhas de pensamento, e a liberdade de expressão contrárias às deles.Assim, para quem não sabe, e insiste em teimar nas suas ideologias de esquerda, fica a saber, que eu ...

"Sou seguidora da ideologia política " Nova Democracia.Novo Oxigénio"

Quem não gostar, tem à sua disposição várias opções, sendo uma delas "Aproveite o seu precioso tempo e ideologias e vá dar banho aos cães"

7 comentários:

fernando baião disse...

Em África, estes problemas fronteiriços vão continuar por muitos e longos anos, a causa, todos nós sabemas, foi a tristemente célebre"Conferência de Berlim" de 1884/85, que dividiu o continente sem respeitar a história, nem as relações étnicos dos povos africanos, de onde Portugal saiu derrotado com o Mapa-Côr-de-Rosa.Atribuir agora as culpas ao presidente JES ou mesmo ao actual presidente do ANC, é um bocado forçado.Mas cada um julga os acontecimentos pelo prisma que melhor entende.

cazimar disse...

Pegando nas suas palavras « a causa, todos nós sabemas, foi a tristemente célebre"Conferência de Berlim" de 1884/85, que dividiu o continente sem respeitar a história, nem as relações étnicos dos povos africanos »

*Segundo o que Henri Brunschwig escreve no seu livro " A Partilha de África"
- Existe partilha duma região quando várias potências estrangeiras se põem de acordo para a colocar, total ou parcialmente, sob a sua soberania.

*Acrescentando também, que:
-Na África negra os europeus que frequentavam as suas costas representaram mais interesses privados do que interesses de Estados ... Os estrangeiros efectuavam as suas transacções à pressa e fugiam, logo que possível, ao calor seco e húmido e às febres de regiões consideradas como « o túmulo dos homens brancos»

* Eu pergunto:
- Não serão os mesmos (acontecimento), que estão acontecer neste momento em África, só que em moldes mais modernos e quiçá, mais violentos para a disputa da soberania por parte das novas potências invasores (china) perante os povos de África tentando maliciosamente pôr-se de acordo para total ou parcialmente impôr o seu domínio negociando principalmente com regimes ditadores seguidores da sua ideologia, desprezando os povos fazendo deles seus escravos ?

*Aceito o seu julgamento, quanto à comparação entre Zuma e JES.Não serão também eles "farinha do mesmo saco", segundo outros prismas?

fernando baião disse...

Já escrevi noutro local, que os chineses não querem saber dos regimes que imperam nas regiões onde procuram a todo o custo usufruir das riquezas dos respectivos países. África foi agora o território escolhido para a sua expansão. Angola não é excepção, infelizmente.Eles não estão lá para ensinar, para levar know-how, a preocupação deles é outra.Os angolanos conseguiram lhes dar para trás no caso da refinaria do Lobito, mas em outros domínios tem sido dificil o controlo das suas empresas, sobretudo na construção.

cazimar disse...

Vamos esperar, para ver para crer como São Tomé.

*Até lá,sempre que pudermos, vamos falar deles e dos seus interesses repentinos por África em geral e por Angola em particular.

*Afinal a terra pertence aos angolanos.Não podemos ficar com os olhos em "bico".Nunca é demais relembrar e colocar o dedo nas feridas.

Anónimo disse...

Gosto imenso do debate Cazimar X Fernando Baião. Duas pessoas muito bem informadas e pelo pude observar, sem tendências a favor de terceiros, apenas a sua opinião pessoal, do que realmente acreditam. Neste debate eu não me sinto à altura de nenhum dos dois, por isso não dou a minha opinião, apenas aproveito para ficar melhor informado.
Cumprimento os dois pelo altíssimo nível.
Alexandre (Brasil)

fernando baião disse...

O que mais nos preocupa é que os contratos foram assinados para que a maioria dos nossos desempregados pudessem usufruir das vagas nesses mesmos contratos. Infelizmente, tem sido uma luta titânica para incorporar os trabalhadores angolanos, pois os chineses alegam que eles não gostam de trabalhar, são mangunheiros e assim colocam os milhares de chineses que trazem, oriundos de classes de prisioneiros de delito comum.

cazimar disse...

*Meu caro Fernando, pois essa também é uma das minhas preocupações.De mansinho a China vai impondo as suas regras dos biliões de investimento em Angola, onde as contrapartidas, são mais influentes ao nível das classes sociais mais baixas, prejudicando a mão de obra angolana capacitada para executar quiçá com melhor qualidade essas tarefas.A China está aproveitar-se dos acordos para exportar a sua mão de obra de baixos custos, resolvendo um dos seus problemas internos.É preocupante esta situação, para os angolanos, porque entretanto os chineses vão-se enraizando, misturando, galhando terreno.E depois, como vai ser ...

*Estou a preparar um roteiro sobre a invasão chinesa em África particularmente em Angola.Se fôr possível ainda colocarei o post hoje.

*Alexandre, esteja à vontade para participar, não importa a altura de cada um de nós.Somos todos feitos da mesma massa. ;)

*Saudações aos dois