quarta-feira, 7 de maio de 2008

“Jornal de Angola” ataca Bob Geldof e critica BES por convidar músico


Jornalista escreve que o músico é um comediante

Num texto publicado hoje sob o título “O cómico Geldof e a falsa notícia”, o “Jornal de Angola” lança um ataque contra o músico irlandês Bob Geldof, que ontem afirmou em Lisboa, numa conferência sobre desenvolvimento sustentável organizada pelo Banco Espírito Santo e pelo semanário "Expresso", que Angola era “gerida por criminosos”.

O texto, que não surge assinado na versão online do jornal (www.jornaldeangola.com), chama a Geldof “comediante de quinta categoria” e “farsante”, insinua que poderia estar alcoolizado quando proferiu "os seus vómitos" e identifica-o como o “espertalhaço que fez concertos rock para matar a fome ao mundo, mandou uns bagos de jinguba para África e o resto foi para outros bolsos mais selectos”.

A falsidade que o jornal refere tem a ver com o facto de a primeira versão da notícia difundida pela Lusa sobre a conferência referir que o embaixador angolano tinha abandonado a sala, quando o diplomata, segundo o “Jornal de Angola”, nem sequer se encontrava na sala. A Lusa difundiu ontem mesmo uma correcção à sua notícia inicial, contendo essa alteração.

"O convidado de honra do BES e do "Expresso" começou por fazer rir a selecta assistência que no caríssimo Hotel Pestana de Lisboa o ouvia atentamente, ao afirmar que as casas mais ricas do mundo estão na Baía de Luanda, são mais caras do que em Chelsea e Park Lane", lê-se no artigo. O jornal ressalta que a afirmação do músico indica que Bob Geldof "não sabe sequer onde fica Luanda e muito menos Angola". "Bob Geldof ou comportava uma dose excessiva de uísque ou não sabe sequer onde fica Luanda e muito menos Angola. Na Baía de Luanda não há casas...", refere o artigo.

Jornal diz que BES tem que ver quem convida

O texto do “Jornal de Angola” termina com um reparo ao BES: “Pelos vistos o BES tem que ver quem convida para falar de desenvolvimento sustentado. É que lhe pode aparecer alguém a injuriar governantes estrangeiros.”

"Se um dia alguém o contratar para uma conferência no Hotel Alvalade, em Luanda, o músico vai chamar criminosos aos seus próprios governantes, descendentes de piratas e negreiros e que ainda hoje vivem na opulência à custa dos povos de África ou da Ásia. É tudo uma questão de dinheiro. Mas em Angola ninguém compra farsantes", lê-se.

O site de notícias angolano "Angonotícias" traz hoje como destaque na sua página online a notícia do PÚBLICO, com o comunicado emitido pelo BES, em que se demarca das afirmações proferidas por Bob Geldof, e a intenção da Embaixada de Angola em Portugal "tomar medidas legais apropriadas" contra o cantor.

Mais sobre a mesma Novela Bob Geldof

Comentário: Ana Dias Cordeiro fala sobre as acusações de Bob Geldof ao Governo de Angola
A jornalista Ana Dias Cordeiro, editora da secção Mundo do jornal PÚBLICO, considera que as acusações do músico e activista Bob Geldof ao Governo de Angola chamam a atenção para os problemas do país, pouco discutidos devido aos interesses económicos.

Ver vídeo em: http://www.publico.clix.pt/videos/?v=20080507171626&z=1


Comentário:As baratas tontas made im Angola com sangue genuínamente made in China, já começaram a reagir, embora de uma forma típicamente angolana, covardemente e anónimamente.A minha ansiedade foi de duração reduzida, pois alguém do Jornal Angola achou por bem, escrever atordoadas dirigidas a Bob Geldof.

As atordoadas são de tal forma descabidas, que revelam bem a importância da BOMBA lançada por Bob Geldof em Angola.Os criminosos, estão estupefactos como é que um drogado (na boca de alguns angolanos) conseguiu ter o desplante de ter usado a droga vendida por Angola, para atirar ganzas em forma de bombas atómicas, contra um dos maiores traficantes, criminosos e corruptos em África.Contra alguém cujo Bob Geldof, andava a angariar fundos internacionais para socorrer da fome e da miséria as crianças angolanas, quando é traído por criminosos que vivem luxuosamente sobre lençóis debroados de diamantes, ébrios e drogados com o melhor vinho francês e a melhor " liamba made in Angola " vendida e traficada no futungo, porque em Angola ninguém compra farsantes, porque Angola já é uma farsa sobejamente conhecida mundialmente, cujos os produtos e produtores são de baixo custo e de qualidade reduzida.Só compra estes produtos, quem fôr cigano e criminoso made in China ou Angola.

As atordoadas do covarde do Jornal de Angola, para não variar, viraram-se para os mercenários portugueses, segundo o jornal, vivem na opulência à custa dos povos de África, escusssando-se dizer, que os que vivem nessa opulência são angolanos com dupla nacionalidade, obtida na corrupção e tráfico de influências, sendo maioritáriamente frequentadores das Universidades Lusófona, e da extinta Universidade Independentedo do engenheiro Sócrates(cujos os cofres estavam cheios de diamantes) e cujos os pápás, têm estatutos de governantes (ministros), militantes do MPLA e altas patentes do exército (generais) e da Polícia de Angola.

No meio desta comédia, internacionalmente o maior comediante será mesmo o Jornal de Angola, pois presta um mau serviço ao seu povo, tentando fazer dele palhaço de um circo que dança de acordo com a música da banda do maestro Dos Santos.

Maestro JES, que é incapaz de apresentar contas públicamente, sobre a origem das suas fortunas pessoais e dos seus familiares.Já não falo das fortunas dos criminosos pertencentes à corja dos pseudo novos ricos, que vegetam em torno do poder, cuja a boca de Bob Geldof nenhuma fortuna pessoal é capaz de corromper.

Na hora do aperto, aparece um comediante anónimo do Jornal de Angola, disposto a tentar limpar a cara e o rabo dos criminosos, à imagem fedorenta que Angola apresenta aos olhos da desgraça do seu povo.



Eu não sou Bob Geldof, mas sou alguém que junto a minha voz, para alto e bom som, reforçar a mensagem: "Em Angola são todos uma cambada de criminosos".(ver foto - prova dos crimes)

Para onde foram os bagos de jinguba desta criança angolana.Qual é(foi) o bolso mais selecto e ébrio (alcoolizado) do criminoso angolano, que ficou com o membro inferior e a verba que lhe pertencia ?


Ver vídeo aqui: http://angola-africa.forum-ativo.com/videos-de-nossos-kimbos-f38/video-polemico-t134.htm

Jornal de Angola tem que convidar o povo a escutar esta mensagem, feita por um angolano genuíno à sua mãe.

" PARA MINHA MÃE, ANGOLANA FALECIDA EM DEZEMBRO DE 1992". Minha Mãe resistiu a criar 5 filhos sózinha 9 meses por ano devido a ausências profissionais do meu Pai. Resistiu a 11 intervenções Cirurgicas, mas julgo que não resistiu á tristeza e ao desgosto de ter assistido a tantas coisas porque passaram a sua Terra e o seu Povo, devido á ambição, arrogância e incompreensão de alguns seres Humanos,em Guerras absurdas.


Get this widget Track details

2 comentários:

Anónimo disse...

Não fales só por ouvires falar!
Muitos sao os que assim procedem, repetindo na vida os que outros dizem.
É sinal de personalidade fraca, sem projectos, sem criatividade nem imaginaçao
Vive a tua vida, reforça a tua personalidade, cre em ti mesmo.
Nao devemos deixar que a nossa vida seja como a folha caida no meio do caminho que o vento leva para todo lado.Pessoas ha que nunca fizeram nada na vida para ter uma vida estavél e hoje limitam- se a tirar a culpa do seu fracasso ao nossos dirigentes é triste viver nesta situaçao, chama-se a isso procurar culpados para as nossas derrotas.C.M. A. M

cazimar disse...

*A informação hoje em dia, corre a uma velocidade alucinante, onde nem sequer necessitamos de confirmar só de ouvir falar pela boca ou escrita dos outros.Basta escutarmos o «silêncio».Quem ignorar os sinais do silêncio, não está capacitado para julgar quem quer que seja, cingindo-se exclusivamente a funcionar em função de um mandante, sobre o qual assentam os seus projectos de vida.É um sinal de fraqueza.É sinal que o seu cérebro só funciona e aplica de acordo com as ideias do mandante principal e que a sua opinião, a sua liberdade, a sua expressão e criatividade estão bloqueados e dependentes das folhas que vão caindo aos seus pés, como migalhas ou donativos cuja a sua sobrevivência vai dependendo delas, incapacitando-os de poderem viver a sua própria, já de si, fraca e condicionada.

*Este tipo de pessoas quando agarram uma oportunidade, porque até esse momento nada tiveram ou fizeram na vida, aproveitam-na para tentar adquirir uma personalidade moldada ao perfil do mandante, crer em algo que é injusto aos olhos de todo mundo, inclusive até são capazes de transformar os fracassos dos governantes em actos heróicos.Felizmente a informação no mundo actual tem meios e poderes para contrariar esse tipo de pessoas que vivem condicionadas ao seu fracasso e dependentes da personalidade de quem lhes dá ordens, sobre a forma de como agirem.

*A criatividade e a imaginação de um ser humano livre não está dependente de um mandante.Quem assim agir é como você diz, é uma personalidade fraca, cujos projectos dependem da obediência.Sendo assim, eu prefiro falar ou escrever só de ouvir falar pela boca ou escrita dos outros que são a maioria.

*Será que é capaz de ter a criatividade e a imaginação suficientes para conseguir alcançar, porque razão o homem inventou o bloco de notas?

*Talvez para evitar futuras derrotas.Talvez para evitar cometer os mesmos erros.Talvez para evitar ter que continuar a procurar os mesmos culpados de sempre (folhas caídas que vai largando pelo chão enquanto o vento passa).

*Talvez, muita coisa que a alguns não interessa saber, só de ouvir falar, só de ouvir repetir o que os outros dizem...incomoda

Obrigada pela sua participação

abraços